sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Censo 2010: Brasil tem mais etnias indígenas do que o estimado

 

Censo 2010: Brasil tem mais etnias indígenas do que o estimado

Pesquisa inédita mostra que índios no país tem 305 etnias e 274 línguas

Publicado:10/08/12 - 10h00
Atualizado:10/08/12 - 10h52
RIO - Eles andavam por essas terras muito antes das naus portuguesas aportarem em nosso litoral. Apesar do tempo, pouco se conhecia sobre as populações indígenas brasileiras até o Censo 2010. Numa pesquisa inédita, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constatou que 896,9 mil índios viviam no país, divididos em 305 etnias, falando 274 línguas. A população indígena no país cresceu 205% desde 1991, quando foi feito o primeiro levantamento no modelo atual. À época, os índios somavam 294 mil. O número chegou a 734 mil no Censo de 2000, 150% de aumento na comparação com 1991.
O resultado do estudo de 2010, o primeiro a checar a etnia e que foi divulgado na manhã desta sexta-feira, supera a literatura antropológica, que estimava em 220 o número de etnias e 180 tipos de línguas indígenas. Sob a lupa dos pesquisadores, contudo, o índio continua nu quando comparado ao restante da população: 52,9% deles não tinham qualquer tipo de rendimento e a proporção é ainda maior nas áreas rurais: 65,7%.
O censo mostra ainda que até 2010 6,2% não tinham nenhum tipo de registro de nascimento, mas 67,8% eram registrados em cartório. Já entre as crianças indígenas nas áreas urbanas, as taxas são próximas às da população em geral, ambas acima dos 90%. Dos 896,9 mil índios computados no recenseamento, 63,8% viviam em área rural e 36,2% em área urbana. O total inclui os 817,9 mil indígenas declarados no quesito cor ou raça do Censo 2010 (e que servem de base de comparações com os Censos de 1991 e 2000) e também as 78,9 mil pessoas que residiam em terras indígenas e se declararam de outra cor ou raça (principalmente pardos, 67,5%), mas se consideravam "indígenas" de acordo com aspectos como tradições, costumes, cultura e antepassados.
O estudo estatístico identificou 505 terras indígenas, cujo processo de identificação teve a parceria da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) no aperfeiçoamento da cartografia. Essas terras representam 12,5% do território brasileiro (106,7 milhões de hectares), onde residiam 517,4 mil indígenas (57,7% do universo pesquisado). Apenas seis terras indígenas tinham mais de 10 mil índios, 107 tinham entre mil e 10 mil, 291 tinham entre cem e mil, e em 83 residiam até cem indígenas. A terra com maior população indígena é a Yanomami, no Amazonas e em Roraima, com 25,7 mil pessoas.
Ao investigar pela primeira vez o número de etnias indígenas (comunidades definidas por afinidades linguísticas, culturais e sociais), encontrando 305 etnias, das quais a maior é a Tikúna, com 46.045 integrantes ou 6,8% da população indígena. Com relação às 274 línguas faladas, o censo apurou que dos indígenas acima de 5 anos, 37,4% falavam uma língua indígena. Já o percentual de índios que falam português é de 76,9%. Mesmo com uma taxa de alfabetização mais alta do que a constatada no Censo 2000 (73,9), a população indígena ainda tem nível educacional mais baixo que o da população não indígena (76,7%).
A baixa remuneração é outro problema enfrentado pelos povos indígenas. Em 2010, 83% dos índios, com idade acima de 10 anos, recebiam até um salário mínimo ou não tinham rendimentos, sendo o maior percentual encontrado na região Norte (92,6%), onde 25,7% ganhavam até um salário mínimo e 66,9% não tinha rendimento. Em todo o país, apenas 1,5% da população indígena, com 10 anos ou mais de idade, ganhava mais de cinco salários mínimos, percentual que caía para 0,2% nas terras indígenas.
Somente 12,6% dos domicílios eram do tipo "oca ou maloca", enquanto que, no restante, predominava o tipo "casa". Mesmo nas terras indígenas, ocas e malocas não eram muito comuns: em apenas 2,9% das terras, todos os domicílios eram desse tipo e, em 58,7% das terras, elas não foram observadas.
10/08/2012-10h00

Brasil tem 305 etnias e 274 línguas indígenas, aponta Censo 2010

DENISE MENCHEN
DO RIO
Ao investigar pela primeira vez as etnias e as línguas faladas pelos índios do Brasil, o Censo 2010 revelou um cenário mais diversificado do que o esperado por pesquisadores. No total, foram encontradas 305 etnias e 274 línguas diferentes. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
Segundo a pesquisadora Nilza Pereira, do IBGE, as informações disponíveis até então apontavam para a existência de cerca de 220 etnias e 180 línguas. O próprio site da Funai (Fundação Nacional do Índio) cita esses números, consagrados na literatura sobre o tema.
"Estamos descobrindo um país que nem os pesquisadores conheciam", afirma Pereira.
No total, 75% dos 817,9 mil indígenas do país declararam pertencer a alguma etnia. Nas terras indígenas - pertencentes à União e de utilização exclusiva dos índios - esse percentual foi ainda maior, de 89,5%. Fora delas, ficou em 55,2%.
Segundo o IBGE, a etnia mais populosa foi a Tikúna, seguida pela Guarani Kaiowá e pela Kaingang.
O Censo também mostrou que 37,4% dos índios no país falam alguma língua indígena. Ao mesmo tempo, 17,5%, quase um quinto do total, não falam português. Nas terras indígenas, a parcela dos que não sabem português chega a 28,8%. Fora delas, fica em 3,5%.
Apesar da diversidade, muitas línguas podem estar em risco de desaparecimento. Segundo o levantamento, quase metade (47,4%) das línguas faladas fora das terras indígenas têm até dez falantes apenas.
Editoria de Arte/Folhapress
alt

10/08/2012-10h00

Índios têm renda menor e taxa de analfabetismo maior, revela Censo 2010

DO RIO
Informações divulgadas nesta sexta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que a taxa de analfabetismo de indígenas é maior do que a da população brasileira. Segundo o Censo 2010, 76,7% dos índios com 15 anos ou mais de idade sabem ler e escrever, contra 90,4% da média brasileira.
A pesquisa também mostrou que a renda desse grupo é menor. No total, 52,9% dos indígenas com dez anos ou mais não têm rendimento, contra 37% dos não indígenas na mesma faixa etária.
No entanto, o IBGE destaca que a mensuração da renda é difícil nas comunidades indígenas, já que muitos trabalhos são feitos coletivamente e é comum que a noção de propriedade privada não exista.
O Censo ainda constatou que 6,2% das crianças indígenas não têm registro de nascimento. A média nacional é de 0,5%.
10/08/2012-10h00

Censo aponta que índios eram 0,47% da população em 2010

DENISE MENCHEN
DO RIO
Dados do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelam que o país tinha 896.917 indígenas naquele ano. Isso representa 0,47% da população brasileira.
Do total de indígenas, 517.383 (57,7%) viviam em 505 terras indígenas, que ocupavam 12,5% do território nacional.
Essas terras são de patrimônio da União e de uso exclusivo dessa população. A constituição as classifica como terras "por eles habitadas em caráter permanente, utilizadas para suas atividades produtivas, imprescindíveis à preservação dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e necessárias a sua reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições".
O Censo também mostrou que um quinto dos índios do país vive no Amazonas. A região Norte como um todo concentra 38,2% dessa população.
Mas foram encontrados indígenas em todos os Estados do país, tanto na área rural quanto na urbana. O Distrito Federal, o Piauí e o Rio Grande do Norte foram as únicas Unidades da Federação sem terras indígenas demarcadas, mas com presença dessa população em outros locais.
A metodologia usada pelo instituto para chegar ao número total de indígenas em 2010 foi diferente da dos censos anteriores. No passado, eram computados apenas aqueles que se dissessem indígenas ao serem questionados sobre sua cor ou raça. Em 2010, esse grupo somou 817,9 mil pessoas.
Em pesquisas piloto, porém, o IBGE notou que muitos não associavam a condição de indígena à cor da pele. Assim, o instituto passou a perguntar aos moradores das terras indígenas que se dissessem de outra cor se eles se consideravam indígenas de acordo com aspectos como tradições, costumes, cultura e antepassados. No total, 78,9 mil pessoas que haviam dito ser de outra cor (principalmente parda) responderam que sim, o que levou ao número final de 896,9 mil indígenas.
10/08/2012-10h00

Ocas são apenas 12,6% dos domicílios indígenas, revela Censo 2010

DO RIO
Em 2010, apenas 12,6% dos domicílios usados por indígenas eram ocas. Segundo dados do Censo 2010 divulgados nesta sexta pelo IBGE, o tipo mais comum de residência eram casas.
De acordo com a pesquisa, as tradicionais ocas não eram muito comuns nem mesmo nas terras indígenas. Dos 505 territórios demarcados no país, apenas 2,9% eram formados apenas por ocas. Já em 58,7% das terras indígenas não havia sequer uma oca.
Postar um comentário